O último dia do encontro foi iniciado com o habitual círculo matinal, que desta vez foi uma massagem coletiva, e depois voltámos a trabalhar as questões da liderança na atividade sensorial seguinte.
Durante parte da manhã e da tarde, vários grupos de trabalho emergiram para tratar de alguns temas:
1) Transição Interior: Como é que a Transição Interior se encontra no grupo de governância
2) Projeto Municípios em Transição
3) Coaching para a próxima geração
4) Desenvolvimentos / progressos têm vindo a ser feitos desde o último encontro em cada um dos países presentes que sejam relevantes para o movimento global da transição. Oportunidades e desafios.
Em relação a este último tema, onde estive presente, pudemos tirar algumas conclusões:
   – existem muitas iniciativas que estão afazer transição de alguma forma, mas não se chamam transição
   – é necessário abrir o movimento e haver mais colaboração entre organizações similares
   – o movimento está a tornar-se cada vez mais presente e forte
   – a crise do sistema político e económico está a dar uma oportunidade para as pessoas despertarem e encontrarem novas soluções
   – O filme “Demain” teve grande impacto nas iniciativas
Os resultados deste grupo irão ser disponibilizados através do google docs, para que mais grupos possam contribuir com informação e possa ser partilhado por todos.
Terminámos a tarde com um exercício de meditação sobre a forma como nos vemos no movimento, qual a nossa missão e representámos a nossa visão num desenho coletivo.
Cada um de nós leva agora para o seu Hub os próximos passos que deverá concluir para atingir os objetivos visualizados na meditação, algo que tenha aprendido durante estes dias do encontro, e deixámos cá algo que já não precisemos mais que nos acompanhe durante a nossa jornada…
À noite tivemos teatro transicionista, um teatro no qual os atores somos nós e devo dizer que fomos bastante bem sucedidos na tarefa! 😉
A peça foi sobre as 4 fases do Dragon Dreaming: Sonhar, Planear, Fazer, Celebrar.
Beijinhos,
Raquel